Design

Overview

Espaços onde se respira serenidade

 

A imponência do exterior flui para o espaço interior, que se abre delicadamente com áreas airosas de tonalidades ténues e disposição simétrica.

Um ambiente contemporâneo e despretensioso envolve os 8 pisos, criando uma atmosfera descomprometida que perdura no tempo, para lá das paletas cromáticas do momento e das tendências efémeras.

Arrojado, mas comedido; sofisticado, mas simples. Por todo o espaço interior é percetível uma linha de sobriedade que casa na perfeição com a forma cilíndrica e amplas janelas que transportam para o interior as majestosas paisagens minhotas.

 

 

Funcionalidade

Ao percorrer o edifício, a funcionalidade ressalta à vista.
 

Nos dois primeiros patamares, ao jeito de um cartão-de-visita, encontram-se as áreas sociais. Uma receção de estilo minimalista, onde uma vistosa placa de mármore se destaca, acolhe o visitante com afago. Um restaurante, bar e cafetaria, um auditório com capacidade para cerca de 120 pessoas, dotado das mais modernas tecnologias de comunicação; uma galeria virtual e uma sala de jogos e lazer suportam uma forte componente social que trespassa toda a base da estrutura.

Por entre os tons neutros e linhas sóbrias sobressai uma escada de forma espiral e um azul hipnotizante. A sua forma dinâmica e cor forte contrastam com o restante espaço interior, constituindo um incontornável ponto de referência e um ícone do espaço interior.

Em direção ao topo do edifício, encontram-se diversos patamares com ambientes open space, salas de reunião arrojadas e Meeting Points onde a descontração e a informalidade são evocadas pela própria decoração do espaço; assim como por uma copa que convida a saborear o momento. Nestas zonas de descontração, amplos murais dão cor ao espaço, num trabalho realizado por cinco jovens artistas convidados a materializar as ideias de diversos grupos de trabalho.

Do ponto de vista funcional, destacam-se ainda as escadas interiores que fazem a ligação entre cada dois pisos, enaltecendo o espírito colaborativo e o trabalho em equipa.

Nas paredes, amplas placas de vidro, que se multiplicam pelas mais variadas áreas interiores, enraízam o conceito de Design Thinking, que se alastra pelos diversos pisos.

Já no topo, e com uma paisagem deslumbrante como pano de fundo, apresenta-se o Board, em espaçosas salas que mantém o estilo sóbrio e arrojado. Aqui, a atenção concentra-se numa ampla sala de reuniões, voltada a nascente, que partilha a sua elegância com a bela paisagem do Bom Jesus do Monte, o maior ex-libris da região e um dos maiores sacro-montes construídos na Europa. Para contemplar a paisagem, com o olhar atento que a mesma merece, uma varanda com deck completa o espaço, convidando a um welcome drink inesquecível.

Na cobertura, surge, inesperadamente, a cereja no topo do bolo. Uma extensa área, com uma paisagem a perder de vista, que chama o verão, os sun sets de sexta-feira ao final do dia, os cocktails e a descompressão. No topo, o ar puro e a sensação de liberdade fecham com chave de ouro esta visita pela nova casa da PRIMAVERA.

 

 

Conforto

 

Amplos espaços individuais de trabalho e corredores desafogados criam um ambiente airoso e agradável, onde as cores claras induzem tranquilidade, geram harmonia e potenciam a concentração. Através da paleta cromática e dos materiais usados é estimulada a organização dos espaços de trabalho, pensados cuidadosamente com o intuito de proporcionar comodidade e um campo visual de longo alcance.

O ritmo e a dinâmica são introduzidos através de divisórias ripadas que polvilham o ambiente de vivacidade, levando um toque energizante a um espaço moderno e funcional.

A iluminação está pensada ao mais ínfimo detalhe, oferecendo conforto e bem-estar a todos quantos aqui passam grande parte do seu dia. A luz indireta impede a criação de sombras e reflexos nos monitores. Por outro lado, um sensor de luminosidade controla a necessidade de iluminação dos espaços, consoante a deteção de movimento ou a insuficiência de luz solar.

Para além da eficiência energética do próprio edifício, que atenua em cerca de 10C0 a temperatura exterior, um sistema central controla a temperatura, criando um ambiente térmico confortável, transversal a todas as zonas do edifício.

Salpicos de cor, tonalidades quentes e formas descomprometidas convidam a uma pausa nos Meeting Points, zonas de descontração que se entendem pelos diversos patamares do edifício. Mas é na zona social, na sala de jogos, que a descontração é a palavra de ordem. Mesa de pingue – pongue, sala de TV e videojogos, sala de leitura e outras atividades lúdicas permitem retemperar forças e ganhar energia para mais uma jornada, sempre intensa numa empresa de desenvolvimento de software.

O olhar prende-se ainda nas escadas de serviço de acesso aos diferentes pisos. Ilustrações alusivas à atividade que se desenvolve em cada um dos patamares, assim como o nome dos respetivos colaboradores personaliza os diversos patamares e dá um novo alento a todos quantos optam pelo exercício físico em detrimento dos elevadores.   

 

 

Ergonomia

 

E se o design, a funcionalidade e o conforto caminharam de mãos dados ao longo do processo de construção, estes foram fatores ainda mais determinantes no momento de escolha do mobiliário.

Ergonomia, qualidade, design e durabilidade são requisitos encontrados em todos os materiais usados. O mobiliário Vitra, uma marca internacionalmente reconhecida, proporciona uma adequação às caraterísticas fisiológicas dos utilizadores, um fator particularmente relevante numa organização em que a maioria dos colaboradores desenvolve sentada grande parte da sua atividade.

A altura das secretárias, as caraterísticas das cadeiras, a altura das divisórias entre secretárias e todos os materiais selecionados criam as condições ambientais favoráveis do ponto de vista fisiológico, proporcionando conforto e bem-estar a todos quantos aqui passam o dia.