34.207.247.69
919 204 462Ligue Já!
Ou nós ligamos!Deixe os seus dados para contacto.
Seremos breves!
Horário - dias úteis das 9h30 às 18h30
Login
Conheça as soluções integradoras dos nossos ParceirosMarketplace
Layoff
{alt:Pedro Montez}

Layoff: a nova realidade de muitos portugueses

Uma das consequências desta pandemia mundial denominada de COVID-19 é o impacto que está a ter e terá na economia portuguesa a curto, médio e longo prazo. As empresas são obrigadas a se reinventarem e reestruturarem, de forma a conseguirem sobreviver a esta nuvem negra que não constava nas previsões económicas. Perante este cenário, só há três hipóteses: prosseguir com a operação, entrar em layoff ou fechar.

Qualquer que seja a decisão, nenhuma será tomada de ânimo leve, no entanto, nos últimos dias já milhares de empresas solicitaram a adoção do regime de layoff simplificado, uma realidade que me leva ao tema deste artigo.

O que fazer se a sua empresa estiver em layoff?

Antes de mais, convém explicar que ser enviado para casa em resultado de um processo de layoff é, à partida, uma situação temporária que tem como principal objetivo recomeçar a operação num futuro próximo, mantendo os postos de trabalho. Sendo uma situação provisória, a empresa deverá comunicar com absoluta clareza, qual o prazo em que se prevê que a situação se irá manter.

Naturalmente que é uma situação que provocará elevada ansiedade em todos os agregados familiares que se vejam perante este cenário, porém, é preciso arregaçar as mangas e enfrentar a realidade. Não sendo um processo fácil, é possível tomar já algumas medidas para ultrapassá-lo da melhor forma, nomeadamente:

Perceção de nova realidade

A nova realidade terá naturalmente impacto na vida pessoal, familiar e profissional de cada trabalhador afetado. Será, por isso, importante estar ciente de que vai passar a estar mais tempo em casa, com confinamento habitacional por força desta pandemia. Esta situação deverá ser partilhada com a família e outras pessoas próximas para obter conforto e motivação para esta nova fase da vida profissional.

Redução do rendimento disponível

Em geral, os colaboradores terão uma quebra no seu rendimento disponível de cerca de 30%, sendo que este valor poderá aumentar caso o valor atual da remuneração seja superior a 2.900€.

Grande parte dos colaboradores que sejam enviados para casa em consequência de um processo de layoff verão os seus rendimentos reduzidos durante a vigência do regime, passando a receber dois terços da remuneração normal ilíquida, sendo 70% suportados pela Segurança Social e 30% pela empresa. Essa remuneração terá como limite mínimo o salário mínimo nacional (€635) e como limite máximo três vezes esse salário (€1.905).

Se considerarmos, a título de exemplo, um casal, ambos titulares de rendimento, com dois filhos, dependendo da remuneração atual bruta, o impacto será: 

 

 

Há dois pontos fundamentais que é importante realçar:

1-Os rendimentos obtidos no âmbito do regime layoff estão sujeitos a retenção na fonte a título de IRS e Segurança Social.

2-Os colaboradores com remunerações ilíquidas no valor do Salário Mínimo Nacional não terão qualquer impacto no rendimento disponível.

Readaptação financeira

As famílias devem tomar decisões de âmbito financeiro, de forma a minimizar o impacto da redução do rendimento disponível. Por isso, é necessário atuar de forma rápida e com toda a família focada para que, neste período, apenas sejam assumidas as despesas essenciais. É importante fazer um levantamento das despesas fixas e considerar todos os apoios disponíveis no âmbito da Pandemia Covid-19.

Para as famílias com financiamento bancário, principalmente com crédito à habitação, deve ser comunicada a situação à entidade bancária e com o gestor de conta ver quais as hipóteses para cada um dos cenários. Também no caso das despesas mais correntes, como energia e água, já existem empresas a permitir o pagamento em prestações, pelo que se sugere comunicar com estas entidades de forma a escolher a melhor solução para cada caso.

Formação Profissional

O período em que se está em casa, em situação de layoff, pode ser aproveitado para frequentar formação profissional. Dessa forma, cumpre a obrigatoriedade de ficar em casa, decretada pelo Estado de Emergência em que vivemos, e aumenta as suas competências.

Para tal, poderá aproveitar um manancial de propostas de cursos online, grande parte deles de forma gratuita. Poderá também optar por cursos que permitam o reconhecimento profissional. Embora estes possam não ser gratuitos, com certeza lhe darão uma reposta mais eficaz às suas necessidades.

Não se esqueça que a aquisição de conhecimento, por vezes, abre janelas ou até mesmo portas que não estamos à espera. Qualquer que seja a opção tomada, aproveite o seu tempo para aumentar o conhecimento e com isso novos caminhos poderão ser percorridos.

Fiquem bem. Fiquem em casa.

0 Comentários.
Mostrar comentários
Receba a newsletter com as nossas melhores histórias!